Vaga na garagem pode custar entre R$ 10 mil e R$ 40 mil

Preço de uma vaga pode ser igual ou até maior do que o valor de um carro básico zero-quilômetro

Com o alongamento dos prazos de financiamento muitos brasileiros tiveram a oportunidade de comprar o primeiro carro. Neste caso, a vaga na garagem se tornou um item indispensável nos imóveis. Mas adquirir uma garagem adicional não é tão fácil quanto parece. Atualmente, uma vaga de automóvel em um condomínio residencial pode custar entre R$ 10 mil e R$ 40 mil, dependendo da região do país. Nas principais capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, o valor pode ser igual ou até maior do que o preço de um carro básico zero-quilômetro (que custa, em média, R$ 25 mil). 

Antes de adquirir uma vaga para guardar o carro, vale a pena analisar até mesmo a troca do apartamento. De acordo com o professor de economia da Trevisan Escola, Alcides Leite, se o morador que quer obter uma garagem a mais tem parcelas para liquidar, seja do veículo, do imóvel ou da decoração do apartamento, o melhor seria alugar um estacionamento (que parte de R$ 100) a tê-lo como bem. “Acho que seria inviável alguém que já tem despesas altas ter que dispor deste recurso para adquirir uma garagem”, diz Leite.
 
Na opinião de Angélica Delgado Arbex, gerente da divisão de marketing da Lello Condomínios, se a família efetivamente aumentou sua frota e tem como definição morar por no mínimo cinco anos no imóvel, deve-se tentar comprar mais uma vaga de garagem com um vizinho que não a utilize. Já para quem não quer dispor de capital, o aluguel da vaga é uma alternativa, assim como a busca de um estacionamento nos arredores do condomínio.

Para os investidores de imóveis, Angélica explica que se o apartamento estiver localizado em uma região que sofra com a carência de vagas, a segunda poderá valorizar em até 15% o imóvel. Já dentro dos bairros, a aquisição de uma garagem adicional pode não valer a pena. Investir os R$ 25 mil em uma aplicação financeira, por exemplo, pode gerar mais lucro.

Mas é preciso ficar atento a alguns detalhes antes de comprar ou alugar uma vaga na garagem do prédio. Existem casos em que a vaga está detalhada na escritura do imóvel e, em outros, está à parte. Ou seja, a área da vaga pode estar contabilizada para pagamento de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbana) junto com o imóvel ou separadamente. Por isso, antes de adquirir uma outra vaga, pense também na documentação e nos encargos incidentes.

Por outro lado, o proprietário de um apartamento com duas ou mais vagas no estacionamento tem 20% a mais de facilidade para vender o imóvel. “É um grande investimento. O imóvel com um número maior de locais para guardar o carro tem mais preferência pelo público”, explica o presidente do Cofesi (Conselho Federal de Corretores de Imóveis), João Teodoro da Silva.

Segundo o conselheiro do Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de São Paulo), Luiz Carlos Kechichian, de olho na necessidade das vagas, as incorporadoras aproveitam para atrair negócios mais lucrativos. “Eu já vi construtora oferecer uma garagem adicional para o consumidor que paga o imóvel à vista. Para aqueles investidores que ficam atentos às boas oportunidades, essa é uma ótima chance de ter mais de uma vaga sem pagar nada por ela.”

Postado por Admin em 20/03/2012 18:20